Manual do Trilheiro – Fogueira para Cozinhar?

17.01.2017

 

Durante todos esses anos, acampei, fiz trilhas e sempre utilizei fogueiras como alternativa para cozinhar, aquecer água, me aquecer, dentre outros. A pouco tempo me dei conta, ou melhor, parei pra pensar o quanto de energia é preciso para prover uma fogueira e a quantidade de madeira que preciso para acampar por um ou dois dias, por exemplo. Quando falo em gasto energético, me refiro ao esforço necessário para cortar, arrastar e procurar a lenha, fazer a estrutura para aparar as panelas e utensílios e promover maior eficiência ao fogo, a enorme quantidade de matéria prima para manter o fogo, fora o grande impacto causado à natureza ao cortar e buscar lenha na floresta (nem vou entrar neste assunto). Ainda existe o inconveniente de a lenha poder estar molhada ou chover durante o período em que você esta acampando e você ficar impedido de acender o fogo, cozinhar, se aquecer, etc.

Logicamente que uma fogueira tem toda sua funcionalidade quando se trata de aquecimento do ambiente em uma noite de frio ou em uma situação de emergência, quando você não tem outros recursos. Porém, parando pra pensar e analisando racionalmente, minha atual opinião é que a fogueira é dispensável para cozinhar. Para que mais prático do que levar um fogareiro a gás na mochila, uma espiriteira com algodão embebido em resina? Fora que tem outros inúmeros recursos que podem substituir a fogueira quando o tema é cozinhar. A seguir vou citar alguns, mas existem uma centena de maneiras de fazer fogo sem precisar de lenha.

 

Fogareiro a gás, este é um bom exemplo e muito utilizado em acampamentos, não é caro, o refil de gás pode ser comprado em diversos lugares, a chama dura muitas horas e é leve. O inconveniente é que só da de usar uma boca por vez, a não ser que você tenha mais de um.

Espiriteira, esta ferramenta é de fácil confecção, ou pode-se adquirir industrializada em lojas especializadas, como em lojas de caça e pesca. Quando a uso, corto pela metade uma latinha de alumínio e uso a parte do fundo. É só colocar algum liquido inflamável dentro (uso álcool 98%) e ascender com um palito de fósforo. Posicione o recipiente que você quer esquentar em cima e é só cozinhar. Logicamente você não vai apoiar o recipiente na latinha, faça uma espera para o recipiente que você quer aquecer (pode ser de pedras) de forma que fique um pouco mais alto que o fogo, caso contrário o fogo apaga por falta de oxigênio, por conta do abafamento. Só cuide com o processo de acender o álcool com fósforo, certifique-se que esta seguro do que esta fazendo e mantenha longe líquidos inflamáveis e própria garrafa de álcool, nem o faça dentro da barraca, por favor. Use um pouco de lógica e bom censo.

A técnica que mais gosto é a do Algodão Embebido em Cera, muito fácil de fazer, leve para carregar e a combustão dura por um tempo bem razoável. Da mesma forma que a espiriteira é preciso apoiar o recipiente que você quer aquecer em uma espera (pode ser de pedras), de forma que fique um pouco mais alto que o fogo.

A técnica de preparo é simples, você só precisa de velas usadas ou novas, um recipiente para derreter essa vela, bolinhas de algodão, dessas que você compra em farmácia (é o tamanho ideal) e arame para prender na bolinha de algodão e emergir na cera de vela derretida. Depois é só pendurar e deixar secar. Para acender é só atear fogo com isqueiro ou fósforo.

Essas técnicas citadas acima, são as que mais uso e funcionam muito bem. Uso muito pouco a fogueira, só para me aquecer um pouco quando anoitece, desta forma também economizo a luz de lanternas, lampiões, etc. Mas confesso que é um vício bem difícil de tirar do cotidiano da maioria dos aventureiros. Porém se o conseguir, a natureza agradece!!!!

 

Boa trilha!!!

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

© 2023 por NÔMADE NA ESTRADA. Orgulhosamente criado com Wix.com

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now